Após mortes e desabamento de prédio, Gramado decreta Situação de Calamidade

Em coletiva de imprensa nesta sexta-feira, prefeitura detalhou ações que serão feitas na cidade

4870250_d4f1e4692af6b1a Após mortes e desabamento de prédio, Gramado decreta Situação de Calamidade

Prefeito Nestor Tissot (com microfone) na coletiva de imprensa nesta sexta-feira.
Leonardo Portella / Agencia RBS

 

Depois de registrar duas mortes no final de semana em função das chuvas, e de um prédio desabar nesta quinta-feira (23), a prefeitura de Gramado decretou situação de calamidade.

A informação foi divulgada em coletiva de imprensa na manhã desta sexta-feira (24).

Segundo o poder público, geólogos contratados, profissionais da prefeitura e da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) vão a campo neste domingo (26) para entender melhor o que pode ter acontecido na cidade nos últimos dias.

De acordo com o prefeito Nestor Tissot, as áreas afetadas não foram consideradas como pontos de risco no Plano Diretor. Ele entende que são problemas pontuais e ocorreram em localidades antigas do município:

— Em três meses, choveu em Gramado 60% do que estava previsto para o ano. Foi um fenômeno isolado, pegou uma parte do município e não perdoou. Me perdoem as pessoas, mas felizmente o prédio caiu como se fosse sentado. Não espalhou nada. Foi a melhor notícia que tivemos.

Ainda segundo o prefeito, 546 pessoas estão fora de casa em Gramado, principalmente no bairro Três Pinheiros, onde cerca de 120 famílias precisaram sair de suas residências – 60 delas estão em abrigos e o restante com familiares e amigos.

A prefeitura de Gramado decidiu também suspender todas as autorizações de obras que utilizam detonadores. O prefeito vai a Brasília na segunda-feira (27) para também tentar auxílio do Governo Federal.

Mulheres morreram soterradas
No sábado (18), duas mulheres morreram após uma casa ser soterrada na Linha Marcondes Baixa. Segundo a prefeitura, quatro pessoas residiam no local — duas delas conseguiram sair da moradia e estão bem. As vítimas foram identificadas como Elisabeta Maria Benisch Ponath, 51, e Lidwina Lehnen, 86.

 

Como era o prédio que desabou

O Residencial Condado Ana Carolina foi construído em uma encosta na Rua Ladeira das Azaléias, numa área total de 3,4 mil metros quadrados em cinco pavimentos e 19 unidades.

O condomínio fica no bairro Planalto e acima do bairro Três Pinheiros.

Em apresentações disponibilizadas em sites de imobiliárias, a vista do residencial era um dos pontos mais elogiados, sendo caracterizada como “linda” e “deslumbrante”. Outros pontos mencionados para atrair compradores eram a distância de cerca de cinco minutos do centro de Gramado e o “charme e conforto” do condomínio com “estilo europeu”.

Ainda conforme uma das apresentações, direcionadas a corretores e datada como de 2009, havia opções de apartamentos com um, dois e três dormitórios.

O material acrescenta que os moradores teriam à disposição duas ou três vagas de garagem coberta, lareira e opção de vidros com isolamento. Os imóveis variavam de 91 metros quadrados a 160 metros quadrados.

Screenshot_1-20 Após mortes e desabamento de prédio, Gramado decreta Situação de Calamidade

gauchazh.clicrbs.com.br

Guia Serra e Litoral só R$ 20 POR ANO
Estamos em faze de lançamento, Anuncie Conosco preço promocional

Quer ficar por dentro sobre as principais notícias do Brasil e do mundo? Siga o Serra e Litoral nas principais redes sociais. Estamos no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube. Tem também o nosso grupo do Telegram e Whatsapp.

Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?

Olá, Seja bem-vindo!
Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?
𝐀𝐜𝐞𝐬𝐬𝐞, conheça e fique bem informado(a) dos acontecimentos do 𝐃𝐈𝐀-𝐃𝐈𝐀.

Osório na Web e Portal Serra e Litoral Juntos.
Segue o Link da Página

Página Osório na Web

Redes do Grupo Fortes Publicidade
Notícias atualizadas 24h.

Receba as principais notícias do Portal Serra e Litoral no seu WhatsApp