Sistema de saúde de Porto Alegre sofre com os danos após o temporal

Água da chuva invadiu corredor do HPS, em Porto Alegre | Foto: Guilherme Almeida

Temporal causou problemas estruturais graves no Hospital São Lucas da PUCRS.

A Secretaria Municipal de Saúde solicitou que a população evite buscar as unidades de saúde e farmácias nos primeiros horários da manhã desta quarta-feira, devido aos transtornos causados pelo temporal na última madrugada.

O temporal causou problemas estruturais graves no Hospital São Lucas da PUCRS. A emergência SUS está interditada e a equipe está realocando os pacientes internamente. Houve destelhamento em três andares, avarias e desabamento de teto em dois leitos de UTI, necessitando interdição e remanejo de paciente.

A emergência e o Centro de Diagnóstico por Imagem estão alagados e os 10 leitos SUS estão temporariamente inutilizados. As cirurgias devem ser restringidas ou suspensas.

O Hospital de Pronto Socorro permanece sem energia elétrica, funcionando com gerador. Ligações externas não estão completando e a orientação é que o contato seja feito de forma extraordinária para o telefone (51) 99531-2137.

A diretora-geral do HPS, Tatiana Breyer explica que o bloco cirúrgico está operando para as cirurgias de urgência, as cirurgias eletivas, que são de pacientes que estão relativamente estáveis, foram transferidas todas para essa quinta-feira(18). “É que a gente depende do vapor da caldeira para poder fazer a esterilização dos autoclaves, que consomem muita energia e não podem entrar no gerador, senão a gente corre o risco de deixar outras áreas desassistidas do ponto de vista de energia”, afirma.

Ao menos 60 unidades de saúde de Porto Alegre estão com algum tipo de restrição de atendimento – sem energia, telefone ou internet, por exemplo.

Unidades de saúde fechadas: Domênico Feoli; Mario Quintana; Floresta; Jardim das Palmeiras; Santo Alfredo; Sarandi; Barão de Bagé; Clínica da Família Diretor Pestana; Farmácia Distrital Navegantes (é possível buscar atendimento nas Farmácias Distritais Restinga, Vila dos Comerciários ou Santa Marta.

Os atendimentos presenciais na Vigilância em Saúde estão mantidos para entrega de receituários e liberação de declarações de óbito e nascidos vivos, mas telefones do órgão estão inoperantes, sem previsão de retorno.

A Farmácia de Medicamentos Especiais – Centro Logístico de Medicamentos Especiais (Celme) está funcionando normalmente.

O Hemocentro do Estado do Rio Grande do Sul (Hemorgs) está com a coleta de sangue suspensa devido a queda de energia elétrica. De acordo com a direção do Hemorgs, a distribuição de hemocomponentes e de fatores de coagulação estão mantidas, porém a coleta de sangue está suspensa até o retorno da luz.

O Hospital Moinhos de Vento informa que foi adotado o plano de contingência institucional, com foco em evitar danos aos pacientes internados na instituição.

Os geradores de energia estão acionados e as ações para garantir o abastecimento de energia elétrica e água já foram realizadas.

Os exames de imagem, consultas e cirurgias eletivos (não urgência) estão sendo reagendados gradativamente. Como medida de precaução, os atendimentos de emergência estão restritos a casos graves e de risco à vida.

O Hospital Nossa Senhora da Conceição relatou pontos de alagamento, mas sem danos a pacientes. Já no Hospital Santa Ana foram registrados pontos de infiltração e água acumulada. A Santa Casa também informou diversos pontos de alagamentos. A ventania quebrou vidros do auditório do Hospital Materno Infantil Presidente Vargas, que também registrou pontos de alagamentos.

O Hospital Independência e Pronto Atendimento da Bom Jesus providenciam remanejo de pacientes. Já o Hospital Fêmina registrou pontos de alagamento em praticamente todos os andares. Instituto de Cardiologia está com as salas da hemodinâmica estão inoperantes.

 

Correio do Povo

Onde Ir

Dicas de Onde Ir, na Serra ou no Litoral
Onde Ir