Marinha autoriza Passo de Torres a prosseguir com obras da nova ponte pênsil

Ponte Pensil em Torres | Foto: Mauro Schaefer

Queda da antiga estrutura, que causou a morte de jovem, completa um ano no próximo dia 20.

A Marinha do Brasil autorizou a Prefeitura de Passo de Torres, em Santa Catarina, na divisa com o município de Torres, a prosseguir com as obras da nova ponte pênsil, que irá substituir a antiga, que caiu há quase um ano, em 20 de fevereiro de 2023.

Conforme a administração da praia catarinense, as obras estão na fase final.

Os cabos de sustentação serão hasteados de um lado para outro nos próximos dias 19, 20 e 21. Após isto, haverá a fixação das madeiras para a travessia de pedestres na ponte.

Nestes dias, o fluxo de embarcações marítimas ficará bloqueado no rio Mampituba, que divide os dois estados. “Durante a passagem dos cabos, a Marinha terá uma equipe que vai monitorar a obra e as embarcações.

A prefeitura também acompanhará com moto aquática e fará ações de divulgação nas marinas, estaleiros e nas embarcações que ficam às margens do rio para informar sobre o impedimento da navegação naquele trecho da obra”, explicou secretário de Planejamento e Meio Ambiente de Passo de Torres, Roger Maciel.

A Marinha, por meio do Comando do 5º Distrito Naval, havia embargado a continuação das obras da nova ponte no começo de janeiro, alegando que a obra estava em andamento sem ter sido solicitado o chamado Parecer de Obra Sobre as Águas, sem a presença de uma embarcação de segurança, sem o balizamento para a ordenação do tráfego de embarcações, sem a “divulgação correta à Comunidade Marítima”, sem a interdição do canal de navegação e até mesmo sem o projeto da ponte ter sido aprovado pelo órgão federal.

A projeção dos cabos sobre o canal do rio afirmou ainda que a projeção dos cabos sobre o rio trazia “sérios riscos aos navegantes locais”, o que prejudicava a navegação. Por sua vez, a Prefeitura de Passo de Torres disse que fez “todas as adequações solicitadas”, e que, diante do embargo, a empresa responsável continuou trabalhando na construção das escadarias e base de sustentação, que ficam às margens do Mampituba. “Agora que recebemos a autorização vamos executar o hasteamento com toda a segurança para as embarcações e para os funcionários da empresa”, disse Maciel.

O investimento, totalmente custeado por Passo de Torres, é de R$ 701,8 mil. A queda da ponte no ano passado causou a morte do jovem Brian Grandi, 20 anos, e outras 16 pessoas ficaram feridas.

O Instituto-Geral de Perícias (IGP) gaúcho concluiu que a causa do acidente na época foi a corrosão da estrutura da ponte, inaugurada em 1985.

Tanto as polícias civis do RS quanto de SC concluíram os inquéritos abertos no ano passado sem indiciamentos.

 

Correio do Povo

Onde Ir

Dicas de Onde Ir, na Serra ou no Litoral
Onde Ir