Estado soma mais três mortes por dengue e chega a 126

Casos mais recentes foram registrados em Alvorada, Taquaruçu do Sul e Porto Alegre.

O Centro Estadual de Vigilância em Saúde confirmou nesta terça, 12, mais três óbitos por dengue no Rio Grande do Sul.

Com esses casos, o Estado chega a 126 mortes em decorrência da doença neste ano.

As mortes mais recentes confirmadas aconteceram entre 8 e 27 de abril.

Entre os óbitos estão: homem de 82 anos, residente de Alvorada, com comorbidades, ocorrido em 8 de abril; mulher de 88 anos, residente em Taquaruçu do Sul, com comorbidades, ocorrido em 15 de abril; e mulher de 31 anos, residente de Porto Alegre, com comorbidades, ocorrido em 27 de abril.

Até a última atualização, o Estado contabiliza 97.598 casos confirmados da doença, sendo 82.175 autóctones, ou seja, contraídos no RS. Além disso, 31.880 casos estão em investigação.

 

Primeiras doses da vacina são entregues aos municípios da Região Metropolitana

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) realizou nesta quinta-feira (02/05) a entrega do primeiro lote de vacinas contra a dengue. Porto Alegre, Viamão, Gravataí, Cachoeirinha e Glorinha já estão doses em seus estoques para começar assim que estiverem organizados com a vacinação das crianças e adolescentes dos 10 aos 14 anos.

Entre os seis municípios da Região Metropolitana que foram elencados pelo Ministério da Saúde para o início da estratégia no Rio Grande do Sul, apenas o município de Alvorada não fez a retirada de sua parte do lote, agendando a coleta junto a 1ª Coordenadoria Regional de Saúde para amanhã, sexta-feira (03/05).

Foram recebidas pela SES nesta semana o primeiro lote de vacinas contra a dengue, com 31,5 mil doses (de nome comercial Qdenga, da fabricante japonesa Takeda Pharma).

Essa primeira entrega representa 25% do total de 126 mil doses que o Estado deve receber para essas cidades, contemplando o número de unidades previstas para a primeira dose da população das crianças e adolescentes elegíveis.

Para a segunda dose do esquema, em um prazo de três meses, o quantitativo a ser recebido pelo Estado dependerá do registro das primeiras doses no sistema do Programa Nacional de Imunizações.

Confira abaixo a relação das cidades com as doses que receberão nesse primeiro lote e o total previsto para o atendimento da primeira dose da população de 10 a 14 anos.

Município: entrega em 02/05 (total de doses previstas)

  • Porto Alegre: 18.225 (72.898)
  • Viamão: 3.746 (14.982)
  • Alvorada*: 3.246 (12.985)
  • Gravataí: 4.106 (16.425)
  • Cachoeirinha: 2.095 (8.379)
  • Glorinha: 116 (463)
  • Total: 31.534 (126.132)

 

*agendada retirada para 03/05

 

Critérios para definição das cidades

As seis cidades que são as primeiras do Estado a implantar a vacinação contra a dengue foram selecionadas pelo Ministério da Saúde com base do critério do histórico de casos de dengue dos últimos dez anos. Mais precisamente 2013 a 2022, visto que a estratégia foi definida antes do encerramento do ano passado.

Segundo o Informe Técnico da estratégia de vacinação nacional, “considerando as dimensões continentais do Brasil, a heterogeneidade de transmissão em cada Região, e o limitado quantitativo de doses da vacina disponíveis para o ano de 2024, foram selecionados municípios de grande porte (população maior ou igual a 100 mil habitantes) com alta transmissão de dengue nos últimos 10 anos, incluindo os demais municípios das suas regiões de saúde de abrangência, independentemente do porte populacional, ordenados pela predominância do sorotipo DENV-2 (reemergência recente) e pelo maior número de casos no monitoramento 2023/2024 (Semana Epidemiológica 27 de 2023 à Semana 02 de 2024)”.

Por isso, ficou incluída no RS a cidade de Glorinha, que mesmo com população abaixo dos 100 mil habitantes entrou na seleção por ser parte da mesma Região de Saúde de outros municípios com população superior e maior incidência da dengue no período. O ranqueamento dessa seleção dos municípios, contudo, não foi divulgado e compartilhado pelo Ministério da Saúde aos estados.

 

Grupo prioritário

Pela definição do Ministério da Saúde, serão vacinadas as crianças e adolescentes entre 10 e 14 anos, faixa etária que, nacionalmente, concentra maior número de hospitalização por dengue nos últimos anos: 16,4 mil de janeiro de 2019 a novembro de 2023.

A vacina desse fabricante não é autorizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para pessoas acima dos 60 anos, público que no RS concentra o maior número de óbitos.

 

Correio do Povo

Quer ficar por dentro sobre as principais notícias do Brasil e do mundo? Siga o Serra e Litoral nas principais redes sociais. Estamos no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube. Tem também o nosso grupo do Telegram e Whatsapp.

AS MAIS LIDAS

Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?

Olá, Seja bem-vindo!
Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?
𝐀𝐜𝐞𝐬𝐬𝐞, conheça e fique bem informado(a) dos acontecimentos do 𝐃𝐈𝐀-𝐃𝐈𝐀.

Osório na Web e Portal Serra e Litoral Juntos.
Segue o Link da Página

Página Osório na Web

Redes do Grupo Fortes Publicidade
Notícias atualizadas 24h.

Receba as principais notícias do Portal Serra e Litoral no seu WhatsApp

Notícias Relacionadas