Temporal castiga Porto Alegre com rajadas de vento intensas e muita chuva

Ruas centrais da Capital ficaram alagadas | Foto: Correio do Povo

Aguaceiro chegou à Capital no fim da noite, com falta de luz e estragos.

O forte temporal que avança pelo Rio Grande do Sul atingiu Porto Alegre com força, por volta das 21h50min desta terça-feira.

A água torrencial foi registrada em diversos pontos da cidade, da Zona Sul à Norte, assim como na região central; Canoas e Novo Hamburgo também registraram vendavais intensos e queda de granizo em alguns pontos.

No Clube dos Jangadeiros, um ponto de monitoramento chegou a registrar ventos de 67 nós (124 km/h), conforme o site Windguru.

Por conta dos ventos fortes e baixa visibilidade, o Aeroporto Salgado Filho suspendeu pousos e decolagens.

As principais vias centrais tinham acúmulo de água. Andradas, Caldas Júnior, Sete de Setembro, avenida Mauá e entorno da Rodoviária tinham restrições de passagem de veículos ou bloqueios pelo aguaceiro.

Clarões esverdeados foram avistados por moradores e, conforme o Corpo de Bombeiros, são oriundos de danos à rede elétrica da cidade. Já havia falta de luz em diversos pontos da Região Metropolitana. Na zona Leste, a avenida Protásio Alves e a São Manuel também estavam alagadas.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) lançou alerta de “grande perigo” para áreas do Rio Grande do Sul que incluem a Região Metropolitana. Poderá chover até 120 milímetros em Porto Alegre ao fim do evento meteorológico – a média para o mês de janeiro inteiro é de 110 milímetros, segundo dados do Inmet.

“Toda a força da prefeitura estará nas ruas trabalhando firme para manter a cidade em funcionamento. Permaneçam em locais abrigados, se possível, e acionem a prefeitura pelo 156 em caso de necessidade. Nossas equipes estão mobilizadas para atender ocorrências e acolher as famílias”, afirmou o prefeito Sebastião Melo.

Equipes do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) e da CEEE Equatorial estão em contato para priorizar o retorno da energia nas Estações de Bombeamento, evitando a interrupção no abastecimento de água. O Dmae monitora também regiões críticas para alagamentos, como o 4º Distrito, os bairros Humaitá e Cidade Baixa, além de outras áreas.

 

Atendimento

Estão mobilizadas as equipes da Defesa Civil Municipal, Fundação de Assistência Social e Cidadania (Fasc), Gabinete da Causa Animal, Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae), Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), Departamento Municipal de Limpeza Urbana (DMLU), Guarda Municipal, Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social, Departamento de Habitação (Demhab), além de efetivos do Corpo de Bombeiros e Brigada Militar.

 

Orientações e telefones

A Defesa Civil pede que a população não transite em locais sujeitos a inundações, enxurradas ou entre em alagamentos.

Em caso de dúvidas ou emergências, ligar para:

– Defesa Civil (199)
– Prefeitura (156)
– EPTC (118)
– Corpo de Bombeiros (193)
– Samu (192)

 

Correio do Povo

 

Onde Ir

Dicas de Onde Ir, na Serra ou no Litoral
Onde Ir