Nova tempestade pode acontecer nesta quarta-feira; saiba como ficará o tempo nas próximas horas no RS

Mapas meteorológicos de terça (16) e quarta-feira (17) mostram a chuva (áreas em vermelho, preto e amarelo) sob a região são semelhantes. CPTEC/INPE / Divulgação

Previsão para a tarde e noite deverá ser de novos episódios de pancadas de chuva e fortes rajadas de vento.

Após uma noite tempestades intensas em todo o Estado, ainda não é possível afirmar que o pior já passou. A previsão é de que novos episódios de chuva volumosa e fortes rajadas de vento aconteçam nesta quarta-feira (17). De acordo com os meteorologistas, a condição será muito parecida com a de terça-feira (16). A situação exige mais atenção na faixa centro-norte do Estado, onde estão os municípios que deverão ser mais afetados.

A manhã desta quarta-feira começou com tempo seco em Porto Alegre e algumas cidades do Estado, enquanto em outras a chuva segue. Até o momento, Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) está com dois alertas ativos para a faixa centro-norte do Estado: um vermelho, que representa grande perigo, válido até 12h; e um laranja, que sinaliza perigo e fica válido até as 10h de quinta-feira (18).

Durante a tarde e à noite, o cenário deve ser mais unificado, com chuva em todas as regiões da metade norte do RS. Para definir as áreas mais afetadas, os meteorologistas consideraram como se uma linha horizontal fosse traçada em Santa Maria. Acima, fica a metade norte e, abaixo, a metade sul. A previsão então abrange a Região Metropolitana, os vales do Taquari, do Paranhana e do Rio Pardo, a Serra, Região Central, Noroeste, parte da Fronteira Oeste, Litoral Norte e toda Região Norte.

O choque de massas de ar foi responsável por causar a tempestade da noite de terça-feira, juntamente com a influência de uma frente fria que se deslocava pelo Estado. A mesma combinação deverá formar, nesta quarta-feira, outro sistema capaz de causar pancadas de chuva volumosas e fortes rajadas de vento.

— Temos a formação desse sistema novamente na faixa noroeste do RS, e ele vem com essa configuração de tempestade: nebulosidade, chuva, vento e raios. É difícil prever horários porque essas condições são muito variáveis, mas a tempestade já está se formando e está se deslocando, então todo cuidado é pouco. À tarde já podemos ter fortes temporais — afirma Guilherme Alves Borges, meteorologista da Climatempo.

Segundo Vanessa Gehm, meteorologista da Sala de Situação do Estado, a diferença está na pressão, que já não está mais tão baixa quanto na noite de terça-feira, com a frente fria já se deslocando para o centro do Oceano Atlântico. Ainda assim, ambos os eventos climáticos continuam influenciando o clima do Estado.

4898325_77a538656fd3cdd Nova tempestade pode acontecer nesta quarta-feira; saiba como ficará o tempo nas próximas horas no RS
Temporal da terça-feira (16) deixou estragos pela Capital. Mateus Bruxel / Agencia RBS

— A combinação mantém a condição de chuva e instabilidade ao longo do dia. Para esta quarta, estamos prevendo volumes de chuva que variam entre 30 milímetros e 80 milímetros ao dia (dependendo da cidade). Pontualmente, já é o suficiente para causar transtornos em algumas cidades — pontua Vanessa.

Em Porto Alegre, a previsão é que chova aproximadamente 70 milímetros ao dia, cerca de 10 milímetros a mais do que foi registrado na noite de terça-feira. A média histórica do mês de janeiro para a Capital é de 112.1 milímetros. Em Passo Fundo, no Norte, o volume total de chuva desta quarta-feira, contabilizando de 00h até 23h59min, podem ultrapassar os 80 milímetros. O valor representaria cerca de 50% do total de chuva que costuma ser registrado em janeiro na cidade.

Na metade sul do Estado, a condição não deverá ser tão preocupante. Os meteorologistas afirmam que ainda há áreas de instabilidade, com previsão de nebulosidade e pancadas de chuva ao longo do dia, mas não será tão intenso quanto no resto do Estado. Borges afirma que as cidades da Região Sul e da Campanha devem ter chuva moderada para forte, o que requer atenção. Em algumas cidades, como Santa Vitória do Palmar, por exemplo, o máximo que deve acontecer é uma garoa forte.

 

*Produção: Yasmim Girardi

Onde Ir

Dicas de Onde Ir, na Serra ou no Litoral
Onde Ir