Mosquito-pólvora: Conheça inseto que transmite vírus e preocupa moradores do Litoral do Rio Grande do Sul

Larvas do mosquito nas folhas de bananeiras em Dom Pedro de Alcântara. RBS TV / Reprodução

Espécie pode causar febre oropouche; cidades do RS devem aplicar bioativo para controlar praga sem afetar bananais.

Um inimigo quase invisível ameaça colapsar o sistema de saúde de Dom Pedro de Alcântara, pequeno município de 2,5 mil habitantes no litoral norte do Rio Grande do Sul. A praga está sendo chamada de mosquito-pólvora, por ser tão pequena e de coloração preta.

— Todo ano parece que está aumentando e ele está se alastrando mais — diz a secretária da Saúde, Janaína Schwank.

Os moradores do município dizem que não conseguem mais abrir a casa ou sair na rua sem encontrar os mosquitos.

— Nós não estamos mais aguentando. A população está em estado de calamidade, porque a gente não pode mais abrir uma casa, a gente não pode mais sair na rua — diz o produtor rural Robis Behenck.

 

O que é o mosquito-pólvora

O mosquito-pólvora, também conhecido como maruim, é uma espécie de inseto culicóide, transmissor de viroses.

O inseto se reproduz principalmente nas plantações de banana, que existem em todos os municípios infestados no RS. A larva do inseto gosta de ambientes úmidos, como as folhas das bananeiras que ficam pelo chão, e também do tronco das plantas.

 

Que doença ele provoca

Quem é picado pelo mosquito-pólvora fica com manchas vermelhas na pele. Além da alergia, uma das preocupações é com a febre oropouche. Ainda não há casos da doença no RS.

— Quando ele morde, cria tipo uma bolinha, tipo de catapora, que antigamente eles falavam. Quando a gente olha, tá toda vermelha a perna, toda cheia de mancha — conta Behenck.

Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas da doença são parecidos com os da dengue e da chikungunya: dor de cabeça, dor muscular, dor nas articulações, náusea e diarreia.

O diagnóstico clínico, epidemiológico e laboratorial deve ser notificado de forma imediata, em razão do risco de epidemia e da alta capacidade de mutação do vírus que provoca a doença. O Ministério da Saúde afirma que não existe tratamento específico contra a doença.

 

Onde há registro de proliferação

  • Dom Pedro de Alcântara
  • Osório
  • Maquiné
  • Terra de Areia
  • Três Forquilhas
  • Três Cachoeiras
  • Torres
  • Morrinhos do Sul
  • Itati
  • Caraá
  • Arroio do Sal
  • Pelotas
  • Taquara

 

Qual a preocupação dos municípios

Os municípios do Litoral Norte vão aplicar um bioativo para controlar a praga sem afetar as plantações de banana. O produto é feito a partir da levedura de cerveja.

— É um bioativo produzido à base de levedura de cerveja fermentada. Ele vai ser utilizado para controlar a larva e os ovos do maruim. Ele vai servir, a gente acredita, assim, como um paliativo, porque, para controlar o mosquitinho, é bem complicado — diz Tatiane Vahl Bohrer, engenheira agrônoma da Emater.

4942321_77a2553dfdd8040 Mosquito-pólvora: Conheça inseto que transmite vírus e preocupa moradores do Litoral do Rio Grande do Sul
Mosquito-pólvora na perna de homem. RBS TV / Reprodução

 

4942322_9ebe85e8822f83b Mosquito-pólvora: Conheça inseto que transmite vírus e preocupa moradores do Litoral do Rio Grande do Sul
Bioativo utilizado no controle do inseto no RS. RBS TV / Reprodução

 

gauchazh.clicrbs.com.br

Quer ficar por dentro sobre as principais notícias do Brasil e do mundo? Siga o Serra e Litoral nas principais redes sociais. Estamos no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube. Tem também o nosso grupo do Telegram e Whatsapp.

AS MAIS LIDAS

Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?

Olá, Seja bem-vindo!
Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?
𝐀𝐜𝐞𝐬𝐬𝐞, conheça e fique bem informado(a) dos acontecimentos do 𝐃𝐈𝐀-𝐃𝐈𝐀.

Osório na Web e Portal Serra e Litoral Juntos.
Segue o Link da Página

Página Osório na Web

Redes do Grupo Fortes Publicidade
Notícias atualizadas 24h.

Receba as principais notícias do Portal Serra e Litoral no seu WhatsApp

Notícias Relacionadas