Como se proteger de doenças como Hepatite A, Leptospirose e infecções após contato com águas de enchente

Pessoas que tiveram contato com água ou lama das enchentes devem estar atentas a sintomas como febre, dor muscular e fadiga. | Foto: Camila Cunha

Médicos destacam principais riscos de saúde associados aos alagamentos e quais são as medidas de prevenção.

O Rio Grande do Sul vem enfrentando a maior enchente de sua história. Segundo a Defesa Civil Estadual, já são cerca de 88.019 pessoas desalojadas, 16.609 pessoas em abrigos e outras 155 feridas em decorrência dos estragos causados pelas enchentes. Pelo menos 334 municípios foram afetados por alagamentos.

Neste cenário extremo onde o foco imediato é salvar vidas, muitos cuidados secundários podem ser esquecidos, como as medidas preventivas contra doenças causadas pelo contato com água, lama ou alimentos contaminados e também doenças causadas pelo contato com animais peçonhentos ou não-peçonhentos.

Segundo Luciano Lunardi, médico que integra o Serviço de Controle de Infecção Hospitalar do Hospital Cristo Redentor, as principais doenças às quais os moradores e pessoas que atuam em zonas alagadas estão expostos são: hepatite A, leptospirose, doenças diarreicas e tétano, sendo o tétano um risco apenas às pessoas que não tomaram a vacina antitetânica na infância.

Segundo as fontes ouvidas nesta matéria, ainda não há aumento de internações por conta das doenças citadas.

Vacinas antitetânicas estão sendo aplicadas por médicos voluntários nos albergues provisórios disponibilizados pela prefeitura de Porto Alegre. Somente no abrigo da Escola de Ed. Física Fisioterapia e Dança (ESEF) da UFRGS, 50 doses foram aplicadas neste sábado.

Segundo Benvegnú Toti, diretor de Atenção Primária do Grupo Hospitalar Conceição, caso o nível dos rios demore mais de 20 dias para baixar, é recomendado que as pessoas evitem ao máximo ingerir água da torneira. Como precaução, será necessário ferver e filtrar a água e, caso não seja possível estas medidas, tratar a água com duas gotas de água sanitária a cada 200ml e deixar agir por 30 minutos.

Medidas preventivas para quem vai acessar uma área alagada
A principal medida preventiva contra as doenças infecciosas transmitidas pelo contato com água ou lama contaminada é evitar as áreas alagadas. Mas evidentemente muitas pessoas precisam adentrar estes locais.

 

Veja abaixo como proceder nestes casos:

  • Usar luvas e botas de borracha;
  • Vedar com fitas adesivas o espaço entre a roupa e os calçados e luvas;
  • Evitar ao máximo o contato da água com a pele em geral, em especial mãos, boca e olhos;
  • Colocar a roupa para lavar ao chegar em contato e não deixar as peças em contato com roupas limpas;
  • Na ausência de luvas ou botas de borracha, usar sacos plásticos duplos, bem amarrados junto às pernas, mãos e braços;

 

Como agir se sua casa foi atingida pela enchente:

  • As casas e todos os objetos atingidos por água ou lama da enchente devem ser higienizados com água sanitária.
  • É recomendada uma solução de 1 copo de água sanitária para cada 20 litros de água.

 

Confira os sintomas das doenças mais comuns e o que fazer em cada caso:

Leptospirose

Doença infecciosa febril aguda transmitida a partir da exposição direta ou indireta à urina de animais (principalmente ratos).

 

Sintomas:

  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Dor muscular;
  • Dor na panturrilha;
  • Tosse (em casos mais graves);
  • Pele amarelada ou alaranjada (em casos mais graves).

O tempo de incubação da bactéria é de 1 a 30 dias, mas os sintomas costumam aparecer a partir do 4º ou 7º dia de contato.

O que fazer?

Quando não diagnosticada, a leptospirose pode evoluir para um quadro grave.

A pessoa com sintomas deve procurar uma Unidade Básica de Saúde ou Unidade de Pronto Atendimento, onde o tratamento com antibiótico adequado será iniciado.

 

Hepatite A

Hepatite A é uma inflamação do fígado provocada pelo vírus VHA. A contaminação se dá por contato com esgoto ou fezes contaminadas.

É uma doença com riscos menores. Complicações graves são incomuns, mas pode haver associação com doenças pré-existentes.

Via de regra é uma doença viral que passa em 7 dias.

 

Sintomas:

  • Fadiga;
  • Mal-estar;
  • Febre;
  • Enjoo, vômitos, dor abdominal, constipação ou diarreia.

Os sintomas costumam aparecer de 15 a 50 dias após a infecção e duram menos de dois meses.

 

O que fazer?

Procurar atendimento em uma UBS em caso de qualquer um dos sintomas.

Doenças diarreicas

Quadro causado por contato ou ingestão de água ou alimentos contaminados por bactérias.

 

Sintomas:

  • Diarraia;
  • Cólicas abdominais;
  • Dor abdominal;
  • Febre;
  • Sangue ou muco nas fezes;
  • Náusea;
  • Vômitos.

 

O que fazer?

Procurar atendimento em uma UBS em caso de qualquer um dos sintomas.

 

Acidentes com Animais Peçonhentos ou Não-peçonhentos

O que fazer?

  • Em caso de suspeita ou acidentes com animal peçonhento, contatar o (Centro de Informação Toxicológica) CIT RS pelo telefone 0800-721300 e se possível levar o animal.
  • Em caso de mordidas de animais não-peçonhentos, buscar uma UBS para tomar a vacina antirrábica (para a raiva).

 

Tétano

O tétano é uma infecção grave que afeta os nervos e pode levar à morte. É causada pelo contato de um ferimento com materiais enferrujados.

O que fazer?

Em caso de não ter sido vacinado contra tétano na infância, buscar UBS para tomar a vacina.

 

Hospitais cedem médicos para atendimento nos albergues temporários em Porto Alegre

Benvegnú Toti, diretor de Atenção Primária do Grupo Hospitalar Conceição, alerta ainda para os cuidados com doenças crônicas como hipertensão, diabetes e doenças renais, uma vez que pacientes com estes quadros não podem deixar de tomar a medicação. Segundo Toti, em caso de extravio dos medicamentos, é importante que os pacientes ou familiares adquiram os remédios novamente com urgência.

Conforme Toti, o Grupo Hospitalar Conceição está deslocando médicos da atenção primária para atenderem de forma voluntária nos albergues da Prefeitura. Os profissionais estão dando atenção a sintomas das doenças mais comuns associadas às enchentes e receitando medicações como antibióticos, podendo, se necessário, encaminhar os pacientes ao SAMU.

“Organizamos toda nossa estrutura, dos Hospitais e da Unidade de Pronto Atendimento, pensando que somos referência em alta complexidade e entendemos que precisamos ter disponibilidade para receber pacientes de outros hospitais. Quando o paciente está mais grave costuma vir para o Conceição e nós estaremos prontos para receber”, disse Toti.

 

Correio do Povo

 

Quer ficar por dentro sobre as principais notícias do Brasil e do mundo? Siga o Serra e Litoral nas principais redes sociais. Estamos no Twitter, Facebook, Instagram e YouTube. Tem também o nosso grupo do Telegram e Whatsapp.

AS MAIS LIDAS

Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?

Olá, Seja bem-vindo!
Você já acessou a nossa Página Osório na Web hoje?
𝐀𝐜𝐞𝐬𝐬𝐞, conheça e fique bem informado(a) dos acontecimentos do 𝐃𝐈𝐀-𝐃𝐈𝐀.

Osório na Web e Portal Serra e Litoral Juntos.
Segue o Link da Página

Página Osório na Web

Redes do Grupo Fortes Publicidade
Notícias atualizadas 24h.

Receba as principais notícias do Portal Serra e Litoral no seu WhatsApp

Notícias Relacionadas