38ª Cavalgada do Mar encerra com homenagens à tradição em Palmares do Sul

Cavalarianos percorreram 330 quilômetros pelo litoral norte gaúcho | Foto: Jéssica Lumertz

Neste sábado, cavalarianos participam de almoço festivo promovido pela Prefeitura.

Encerrou nesta sexta-feira o trajeto da 38ª Cavalgada do Mar, reunindo aproximadamente 1,5 mil pessoas, que percorreram o litoral norte montados em 350 cavalos.

Os participantes do evento, uma das marcas do tradicionalismo gaúcho, haviam deixado Torres no último dia 2 e chegaram na manhã de hoje em Quintão, no município de Palmares do Sul, onde se alojaram na Sociedade de Amigos do Rei do Peixe.

Neste sábado, eles devem participar de um almoço oferecido pela Prefeitura, e, após, retornam para suas cidades.

Segundo o responsável técnico da Cavalgada do Mar, Henrique Noronha, a reação do público ao evento foi muito positiva em 2024.

“Há alguns anos, até víamos alguns protestos eventuais, porém, agora, correu tudo de maneira bem tranquila. Ampliamos os pontos de água, visando o bem-estar dos animais, e também porque a cavalgada ocorreu como um todo em clima bastante quente”, comentou ele.

Ao todo, foram três paradas de hidratação no último trecho, percorrido entre os municípios de Cidreira e Palmares do Sul.

Promovido pelo Instituto Cultural Cavalgada do Mar, o evento teve, ao todo, paradas nos municípios de Arroio do Sal, Capão da Canoa, Imbé, Tramandaí e Cidreira, antes de seu destino final, em um percurso de 330 quilômetros, sendo boa parte pela areia.

Ontem, no percurso final de 23 quilômetros, o grupo deixou Cidreira por volta das 7h, justamente para evitar o período mais quente do dia. “Um clima como este com certeza exige muito mais preparo dos animais. Por isso, modificamos a estratégia e ampliamos a hidratação”, comentou Noronha, que cavalga desde 2001. Para ele, foi um dia para “encerrar com chave de ouro” o evento, no qual participaram piqueteiros e tradicionalistas de todo o Rio Grande do Sul, bem como de fora do estado.

Neste ano, a Cavalgada do Mar teve algumas novidades, como a partida a partir do CTG Porteira Gaúcha, em Torres, e não via Parque do Balonismo, como foi comum em anos anteriores.

Outra foi a entrada na faixa de areia a partir da praia de Itapeva, já que não houve permissão pelo Parque da Guarita.

Além da cavalgada em si, formada por pessoas de todas as idades, a travessia também é caracterizada pelas celebrações, competições campeiras e homenagens em todas as paradas.

Em uma delas, na última quarta-feira, em Tramandaí, foi homenageado João José Machado, conhecido popularmente como maestro Machadinho, um dos idealizadores do evento em 1984, quando houve a primeira edição, e falecido em junho de 2023.

 

Correio do Povo

 

Onde Ir

Dicas de Onde Ir, na Serra ou no Litoral
Onde Ir